Carppio de Morais

Carppio de Morais

Acervo:

Carppio de Morais nasceu no dia 06 de março de 1962, em João Pinheiro – MG.

Aos dois anos de idade mudou-se com seus pais para Brasília – DF onde residiu até 1969, após, transferiu-se para o Estado de Goiás onde fixou residência em sua capital, Goiânia.

 Desde muito pequeno sentiu atração pelas artes.

Aos oito anos de idade começou a fazer desenhos, aprimorando neste segmento até aos 18 anos quando descobriu a pintura e a escultura.

Nessa mesma época começou a trabalhar em Agências de Publicidade e Propaganda, mas, 1982 abandonou a profissão por não sentir liberdade de criação passando a se dedicar exclusivamente à pintura, participando de diversos salões e exposições individuais e coletivas.

Em 1984 afastou-se de tudo e partiu para a Amazônia.

Na floresta, manteve contatos com mineradores, madeireiros e povos indígenas onde pesquisou pigmentos e minerais.

Voltando, continuou sua trajetória na pintura participando de diversos salões e exposições com objetos e instalações.

Em 1990 retornou novamente à Amazônia, para fazer novas pesquisas de materiais onde, na terra revirada pelos garimpeiros, em busca de ouro e diamantes, descobriu pigmentos diversos de terra-cota. Nas queimadas da mata o preto do carvão para o desenho. E com os índios descobriu o amor pela natureza e a necessidade de sua preservação.

Desde, então, passou a usar em seus trabalhos a terra-cota e retalhos de madeiras dispensados pelos marceneiros.

Foi convidado pela FUNAI e Secretaria do Meio Ambiente do Estado do Tocantins, para ministrar cursos sobre pigmentos naturais em área indígena, para a tribo dos índios Xerente. Também, ministrou cursos de materiais artísticos na Universidade Federal de Goiás, no Museu de Artes Contemporâneas de Goiânia a convite da Secretaria de Cultura do Estado de Goiás e, cursos de arte contemporânea na Fundação Jaime Câmara e no Colégio Carlos Chagas, em Goiânia.

Em 1997 foi convidado pela Galeria de Artes Casa Thomas Jefferson em Brasília-DF, para uma exposição individual de Objetos e Instalações. Está citado, como artista plástico, nas seguintes obras:

Da Caverna ao Museu,

Dicionário das Artes Plásticas em Goiás, de Amaury Menezes;

Anuário Latino Americano, de Las Artes Plásticas; e, Artes Plásticas,

Seu Mercado Seus Leilões, de Júlio Lousada.

Atualmente suas obras se encontram em grandes Galerias do Brasil, e em mãos de colecionadores particulares do país e de vários outros países como:

Estados Unidos,

Canadá,

Inglaterra,

Itália,

França,

Alemanha,

Japão

e outros.

Fotos:

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: