Prémio Pritzker_Fundação Hyatt_”O Nobel da Arquitectura”. ( Oscar Niemeyer. ) & ( Mendes da Rocha. )

dezembro 31, 2007

 

Oscar Niemeyer: ( 1988 )

Prémio Pritzker_Fundação Hyatt_”O Nobel da Arquitectura”.

Paulo Mendes da Rocha:  ( 2006 )

Prémio Pritzker_Fundação Hyatt_”O Nobel da Arquitectura”.

O Prémio Pritzker é atribuído anualmente, por forma a agraciar um arquitecto vivo, pela fundação Hyatt, da responsabilidade da família Pritzker.

É o mais importante prémio de arquitectura do mundo.

Foi criado em 1979 por Jay A. Pritzker . Influenciado, e comparado, pela forma como é atribuído ao Prémio Nobel , o Pritzker é, muitas vezes, chamado de “o Nobel da Arquitectura“.

Lista completa dos vencedores do prémio:

1979 Philip Johnson (Estados Unidos da América)
1980 Luis Barragan (México)
1981 James Stirling (Grã-Bretanha)
1982 Kevin Roche (Estados Unidos da América)
1983 Ieoh Ming Pei (Estados Unidos da América)
1984 Richard Meier (Estados Unidos da América) 
1985 Hans Hollein (Áustria)
1986 Gottfried Boehm (Alemanha)
1987 Kenzo Tange (Japão)
1988 Gordon Bunshaft (Estados Unidos da América) e Oscar Niemeyer (Brasil)
1989 Frank Gehry (Estados Unidos da América)
1990 Aldo Rossi (Itália)
1991 Robert Venturi (Estados Unidos da América)
1992 Álvaro Siza Vieira (Portugal)
1993 Fumihiko Maki (Japão)
1994 Christian de Portzamparc (França)
1995 Tadao Ando (Japão)
1996 Rafael Moneo (Espanha)
1997 Sverre Fehn (Noruega)
1998 Renzo Piano (Itália)
1999 Sir Norman Foster (Reino Unido) 
2000 Rem Koolhaas (Países Baixos)

2001 Herzog & de Meuron Philippe Herzog & de Meuron Bandeira da Suiça Switzerland Suíça
2002 Glenn Murcutt Glenn Murcutt Bandeira da Austrália Australia Austrália
2003 Jørn Utzon Jørn Utzon Bandeira da Dinamarca Denmark Dinamarca
2004 Zaha Hadid Zaha Hadid Bandeira do Iraque Iraq / Iraque / Bandeira do Reino Unido United Kingdom Reino Unido
2005 Thom Mayne Thom Mayne Bandeira dos Estados Unidos United States Estados Unidos
2006 Paulo Mendes da Rocha Paulo Mendes da Rocha Bandeira do Brasil Brazil Brasil
2007 Sir Richard Rogers Sir Richard Rogers Bandeira do Reino Unido United Kingdom Reino Unido
2008 Jean Nouvel Jean Nouvel Bandeira da França France França

 
 

 

Obtido em “ http://pt.wikipedia.org/wiki/Pr%C3%A9mio_Pritzker

Uma Breve História do Prêmio Pritzker de Arquitetura

O Prêmio Pritzker de Arquitetura foi estabelecido pela Fundação Hyatt em 1979 para anualmente premiar um arquiteto vivo, cujo trabalho construído demonstre uma combinação das seguintes qualidades: talento, visão e comprometimento, que tenha através da arte da arquitetura contribuído de forma consistente e significativa para a humanidade e para o ambiente fabricado. Foi com frequência descrito como “o prêmio de arquitetura de maior prestígio” ou como “o Nobel de arquitetura”.

O prêmio leva o nome da família Pritzker, cujo headquarter de negócios internacionais situa-se em Chicago. Há muito tempo a família é conhecida pelo seu suporte à educação, ao bem-estar social, à ciência, à medicina e a atividades culturais. Jay A. Pritzker, que fundou o prêmio com sua esposa, Cindy, morreu no dia 23 de Janeiro de 1999. Seu filho mais velho, Thomas J. Pritzker tornou-se presidente da Fundação Hyatt. Em 2004, Chicago celebrou a abertura do Parque Millennium, no qual um pavilhão de música projetado pelo recebedor do Prêmio Pritzker, Frank Gehry, foi dedicado ao fundador do prêmio e recebeu o seu nome. Foi no pavilhão Jay Pritzker que ocorreu a cerimônia de premiação de 2005. Tom Pritzker explica, “Como cidadãos de Chicago, não é surpreendente que a nossa família seja aguçadamente conhecedora de arquitetura, vivendo no berço dos arranha-céus, uma cidade preenchida por prédios projetados por lendas da arquitetura como Louis Sullivan, Frank Lloyd Wright, Mies van der Rohe, e muitos outros.” Ele continua, “Em 1967, nós adquirimos um prédio inacabado que estava para se tornar o Hyatt Regency Atlanta. Seu altivo átrio foi loucamente bem-sucedido e se tornou a peça marca de nossos hotéis ao redor do mundo. Ficou imediatamente evidente que seu design tinha um efeito considerável no estado de espírito de nossos visitantes e na postura de nossos funcionários. Enquanto a arquitetura de Chicago nos tornou conhecedores da arte da arquitetura, nosso trabalho de projetar e construir hotéis nos conscientizou do impacto que a arquitetura pode ter no comportamento humano. Portanto em 1978, quando fomos abordados com a idéia de premiarmos arquitetos vivos, fomos receptivos. A Mãe e o Pai (Cindy e o falecido Jay A. Pritzker) acreditavam que um prêmio significativo encorajaria e estimularia não somente uma consciência pública maior a respeito de construções, mas também inspiraria maior criatividade no meio da profissão da arquitetura”. Ele adicionou que tem extremo orgulho de dar continuidade a esse empenho em nome de sua família.

Muitos dos procedimentos e gratificações do Prêmio Pritzker seguem o modelo do Prêmio Nobel. Aos laureados pelo Prêmio Pritzker, são concedidos $100.000, um certificado formal de citação, e desde 1987, um medalhão de bronze. Anteriormente àquele ano, uma edição limitada de esculturas de Henry Moore era presenteada a cada laureado.

Nominações de todas as nações são aceitas; de funcionários públicos do governo, escritores, críticos, acadêmicos, colegas arquitetos, sociedades de arquitetura, industriais, virtualmente qualquer um que tenha interesse em promover a arquitetura notável. O Prêmio é outorgado independentemente da nacionalidade, raça, credo ou ideologia.

O procedimento de nomeação é contínuo de ano a ano, sendo encerrado em Novembro de cada ano. As nominações recebidas após o encerramento são automaticamente consideradas no próximo ano do calendário. Existem mais de 500 nomeados de mais de 47 países até o momento. A seleção final é feita por um júri internacional com toda deliberação e votação secretas.

A Evolução do Júri

O primeiro júri montado em 1979 consistia do falecido J. Carter Brown, então diretor da Galeria Nacional de Arte de Washington D.C.; do falecido J. Irwin Miller, então presidente do comitê executivo e de finanças da Cummins Engine Company; Cesar Pelli, arquiteto e na época, reitor da Escola de Arquitetura da Universidade Yale; Arata Isozaki, arquiteto japonês; e o falecido Kenneth Clark (Lorde Clark de Saltwood), famoso escritor e historiador inglês.

O júri que selecionou o laureado de 2006 abrange, Lord Palumbo do Reino Unido, conhecido benfeitor de arquitetura e antigo presidente do Conselho de Arte da Grã Bretanha, antigo presidente da Fundação Tate Gallery, antigo consignatário dos arquivos Mies van der Rohe do Museu de Arte Moderna em Nova Iorque, e presidente dos consignatários, Serpentine Gallery; Balkrishna Vithaldas Doshi, arquiteto, planejador e professor de arquitetura de Ahmeddabad, Índia; Rolf Fehlbaum, presidente do quadro de Vitra, Basiléia, Suíça; Frank Gehry, arquiteto e laureado do Prêmio Pritzker de 1989; Carlos Jimenez, diretor do Carlos Jimenez Studio e professor na Escola de Arquitetura da Universidade Rice em Houston, Texas; Victoria Newhouse, historiadora de arquitetura e escritora; fundadora e diretora da Fundação de História da Arquitetura; e Karen Stein, diretora editorial da Phaidon Press, Nova Iorque.

Outros que estiveram a serviço incluem o falecido Thomas J. Watson, Jr., antigo presidente da IBM; o falecido Giovanni Agnelli, antigo presidente da Fiat; Toshio Nakamura, antigo editor da A+U no Japão; e os arquitetos americanos Philip Johnson e Kevin Roche; assim como os arquitetos Ricardo Legorreta do México, Fumihiko Maki do Japão, e Charles Correa da Índia, e Lorde Rothschild do Reino Unido; Ada Louise Huxtable, escritora e crítica de arquitetura do jornal Wall Street; e Jorge Silvetti, arquiteto e professor de arquitetura da Universidade Harvard.

Martha Thorne tornou-se a diretora executiva do prêmio em 2005. Ela foi sócia curadora de arquitetura do Instituto de Arte de Chicago na última década. Nesse período, foi curadora de exibições como O Prêmio de Arquitetura Pritzker: Os Primeiros Vinte e Cinco Anos, assim como Trens Modernos e Estações Esplêndidas e Bilbau: A Transformação de uma Cidade. Autora de numerosos livros e artigos sobre arquitetura contemporânea, ela é também membro do Quadro de Consignatários da Fundação Graham.

Bill Lacy, arquiteto e conselheiro do J. Paul Getty Trust e muitas outras fundações, assim como professor da Universidade Estadual de Nova Iorque em Purchase, serviu como diretor executivo do prêmio de 1988 a 2005. Prévios secretários do júri foram o falecido Brendam Gill, que foi crítico de arquitetura da revista The New Yorker; e o falecido Carleton Smith. Da fundação do prêmio até sua morte em 1986, Arthur Drexler, que foi diretor do departamento de arquitetura e design do Museu de Arte Moderna em Nova Iorque, foi consultor do júri.

Simpósio de Televisão Marcou o Décimo Aniversário do Prêmio

“Arquitetura é há muito tempo considerada a mãe de todas as artes”, é como o célebre jornalista Edwin Newman, se apresentando como moderador, abriu o simpósio de televisão Arquitetura e a Cidade: Amigas ou Inimigas? “Construir e decorar abrigos foi uma das primeiras expressões da criatividade do homem, mas nós tomamos como garantido a maior parte dos lugares onde trabalhamos ou vivemos”, ele continuou. “Arquitetura se tornou tanto a menos como a mais ressaltada das formas de arte”.

Com uma equipe que incluía três arquitetos, um crítico, um planejador urbano, um empreendedor, um prefeito, um advogado, um diretor de museu, um industrial, um educador, e um administrador, o simpósio explorou problemas que todos encaram, não somente aqueles que vivem em grandes cidades, mas qualquer um envolvido na vida pública. Algumas das questões discutidas: o que deveria ser construído,

quanto, onde, quando, qual a aparência, que tipo de controles deveriam ser permitidos, e quem os deveria impor?

Para detalhes completos do simpósio que foi produzido no décimo aniversário do prêmio, por favor dirija-se ao site “pritzkerprize.com” , onde pode-se também assistir ao vídeo do simpósio.

Exibições e Livro Sobre o Prêmio Pritzker

A Arte da Arquitetura, uma exibição em circulação dos trabalhos dos laureados do Prêmio Pritzker de Arquitetura, foi exibido em Istambul, Turquia em 2000 no Centro Cultural. A exibição, que teve sua inauguração mundial no Centro de Bibliotecas Harold Washington em 1992, apareceu pela primeira vez no Oriente Distante no último outono no Museu de Finas Artes de Taipei, Taiwan. A estréia européia foi em Berlim no Centro de Arquitetura Alemão em 1995. Também foi exibido na Casa Karntens do Arquiteto em Klagenfurt, Áustria em 1996, e em 1997, na América do Sul, na Bienal de Arquitetura em São Paulo, Brasil.

Nos Estados Unidos foi exibida na Galeria de Finas Artes, na Faculdade Comunitária de Edison em Forte Myers, Flórida; na Galeria de Finas Artes na Universidade A&M do Texas; no Museu de Construção Nacional em Washington, D.C.; no Museu J.B. Speed in Louisville, Kentucky; no Instituto de Arte Canton, Ohio; no Museu de Arte de Indianápolis Columbus Gallery, Indiana; no Museu de Arte da Universidade Estadual de Washington em Pullman, Washington; na Universidade de Nebrasca, e na Univesidade Brigham Young em Provo, Utah. As apresentações mais recentes foram nos Estados Unidos em Costa Mesa, Califórnia, e em museus na Polônia e Turquia.

Uma versão menor da exibição foi apresentada na cerimônia da Casa Branca em 1998, e foi mostrada no Museu de Estado Hermitage em Saint Petersburgo, Rússia e na Academia Cranbook em Bloomfield Hills, Michigan.

Outra exibição, que teve Martha Thorne como curadora e projetada por Carlos Jimenez, intitulada, O Prêmio Pritzker de Arquitetura 1979-1999, que foi organizada pelo Instituto de Arte de Chicago e comemorou os primeiros vinte anos do prêmio e os trabalhos dos laureados, foi mostrada em Chicago em 1999 e em Toronto no Museu Real de Ontário em 2000. Esta forneceu, por desenhos originais, rascunhos originais, fotografias, plantas e modelos, uma oportunidade de se ver o trabalho de alguns dos mais importantes arquitetos que deram forma à arquitetura do século vinte.

Um livro com textos do falecido J. Carter Brown, Bill Lacy, jornalista britânico Colin Amery, e William J. R. Curtis, foi produzido para acompanhar a exibição, e ainda está disponível. Publicado em parceria de Abrams de Nova Iorque e pelo Instituto de Arte de Chicago, o livro de 206 páginas foi editado por Martha Thorne. Este apresenta uma história analítica do prêmio juntamente com exemplos de edifícios dos laureados, ilustrados a cores. O livro comemora os primeiros vinte anos do prêmio e os trabalhos dos laureados, fornecendo uma oportunidade de se analisar o significado da premiação e sua evolução.

Fonte:

 

Year Ano   ↓ Laureate [3] [4] Laureado [3] [4]   ↓ Country País   ↓
1979 Philip Johnson (1906–2005) Philip Johnson (1906-2005) Bandeira dos Estados Unidos United States Estados Unidos
1980 Luis Barragán (1902–1988) Luis Barragán (1902-1988) Bandeira do México Mexico México
1981 James Stirling (1924–1992) James Stirling (1924-1992) Bandeira do Reino Unido United Kingdom Reino Unido
1982 Kevin Roche Kevin Roche Bandeira da Irlanda Ireland / Irlanda / Bandeira dos Estados Unidos United States Estados Unidos
1983 Ieoh Ming Pei Ieoh Ming Pei Bandeira da República Popular da China China / China / Bandeira dos Estados Unidos United States Estados Unidos
1984 Richard Meier Richard Meier Bandeira dos Estados Unidos United States Estados Unidos
1985 Hans Hollein Hans Hollein Bandeira da Áustria Austria Áustria
1986 Gottfried Böhm Gottfried Böhm Bandeira da Alemanha Ocidental West Germany Alemanha Ocidental
1987 Kenzo Tange (1913–2005) Kenzo Tange (1913-2005) Bandeira do Japão Japan Japão
1988 Gordon Bunshaft (1909–1990) Gordon Bunshaft (1909-1990)
Oscar Niemeyer Oscar Niemeyer
Bandeira dos Estados Unidos United States Estados Unidos
Bandeira do Brasil Brazil Brasil
1989 Frank Gehry Frank Gehry Bandeira do Canadá Canada / Canadá / Bandeira dos Estados Unidos United States Estados Unidos
1990 Aldo Rossi (1931–1997) Aldo Rossi (1931-1997) Bandeira da Itália Italy Itália
1991 Robert Venturi Robert Venturi Bandeira dos Estados Unidos United States Estados Unidos
1992 Álvaro Siza Álvaro Siza Bandeira de Portugal Portugal Portugal
1993 Fumihiko Maki Fumihiko Maki Bandeira do Japão Japan Japão
1994 Christian de Portzamparc Christian de Portzamparc Bandeira da França France França
1995 Tadao Ando Tadao Ando Bandeira do Japão Japan Japão
1996 Rafael Moneo Rafael Moneo Bandeira da Espanha Spain Espanha
1997 Sverre Fehn Sverre Fehn Bandeira da Noruega Norway Noruega
1998 Renzo Piano Renzo Piano Bandeira da Itália Italy Itália
1999 Sir Norman Foster Sir Norman Foster Bandeira do Reino Unido United Kingdom Reino Unido
2000 Rem Koolhaas Rem Koolhaas Bandeira dos Paises Baixos Netherlands Holanda
2001 Herzog & de Meuron Philippe Herzog & de Meuron Bandeira da Suiça Switzerland Suíça
2002 Glenn Murcutt Glenn Murcutt Bandeira da Austrália Australia Austrália
2003 Jørn Utzon Jørn Utzon Bandeira da Dinamarca Denmark Dinamarca
2004 Zaha Hadid Zaha Hadid Bandeira do Iraque Iraq / Iraque / Bandeira do Reino Unido United Kingdom Reino Unido
2005 Thom Mayne Thom Mayne Bandeira dos Estados Unidos United States Estados Unidos
2006 Paulo Mendes da Rocha Paulo Mendes da Rocha Bandeira do Brasil Brazil Brasil
2007 Sir Richard Rogers Sir Richard Rogers Bandeira do Reino Unido United Kingdom Reino Unido
2008 Jean Nouvel Jean Nouvel Bandeira da França France França
 

 

 

 

 

 

http://www.google.com.br/search?hl=pt-BR&q=funda%C3%A7%C3%A3o+Hyatt&btnG=Pesquisa+Google&meta=

Anúncios

DVD_ “Um Artista Brasileiro”_In Natura_ (Izabella Rocha, Bruno Dourado e Kiko Péres).

dezembro 11, 2007

 Kiko Péres, Izabella Rocha e Bruno Dourado no projeto_Um Artista Brasileiro _In Natura.

Kiko Péres, Izabella Rocha, Bruno Dourado, In Natura.

UM ARTISTA BRASILEIRO” é um projeto dos brasilienses Izabella Rocha, Bruno Dourado e Kiko Péres, no qual eles interpretam músicas de autores brasileiros, cujo trabalho ainda é desconhecido pelo grande público.

São composições de 5 artistas (além dos 3 citados), todas com forte apelo regional, de múltiplas influências, estilos e ritmos, que servem como uma espécie de amostra da multifacetada música e criatividade de nosso país.

Izabella, Bruno e Kiko são ex-integrantes e fundadores da banda de reggae Natiruts. Foi justamente durante os 10 anos de estrada com a banda que descobriram o trabalho dos 5 artistas:

Os cariocas:

  • Rogê.
  • Tonho Gebara.
  • Luis Carlinhos.

O Baiano-pernambucano:

  •  Baia, que mora atualmente no Rio.

E o Baiano:

  •  Rafael Ponde.

Surgiu em 2004, então a idéia do projeto “Um Artista Brasileiro”, que deu origem ao DVD,  lançado dia 5 de Dezembro no Cine Brasília In Natura  _ Um Artista Brasileiro.,  gravado em 20-06-07, ao vivo, no Teatro Nacional de Brasília.

Com toda certeza, assim como a terra natal de seus idealizadores, “Um Artista Brasileiro” promete deixar extasiado quem ouvir e se permitir sentir a excelência do som.

Mais sobre Izabella, Bruno e Kiko:

  • Izabella Rocha tem 5 discos gravados com o Natiruts e agora segue sua carreira solo com o projeto In Natura, interpretando canções que influenciam sua carreira e canções inéditas de autores diversos.
  • Bruno Dourado tem 5 discos gravados com o Natiruts e agora segue sua carreira solo com projetos como o In Natura, Hydraulic e o BJ Project.
  • Kiko Péres tem 1 disco gravado com o Pravda, 4 discos gravados com o Natiruts, 4 discos solo, 1 DVD solo e a produção musical dos discos de Tuka Villa Lobos, Capitão do Cerrado, Birinaite, Superáudio e Anand Jyothi.

Fonte: Maria Falcão.

 

falcaomaria@terra.com.br

Depoimentos que estarão nos “Extras” do DVD: 

( 1ª  a  6ª  partes ):
Projeto “Um Artista Brasileiro.”

Compositores e as músicas.

In Natura.


 

Composições Próprias.

Natiruts.


A gravação.

Beleza Divina (trecho)


 

Marcelo Dischinger: Fotos do show de gravação do DVD “Um Artista Brasileiro” do IN NATURA (Izabella Rocha, Bruno Dourado e Kiko Péres). Teatro Nacional – 20-06-07.

In Natura – Fotos de Marcelo Dischinger.

 

Izabella Rocha, Fotolog.

Kiko Peres, Picasa.

 

Fãn_In Natura, Fotolog.


Beco da Rua 8 _ Teatro Bar _ 408 Norte _ Brasília DF.

dezembro 6, 2007

Beco da rua 8 _ café da Rua 8


Projeto Pixinguinha.

dezembro 6, 2007

Promoção de intercâmbio de espetáculos de música popular entre as diversas regiões do país.

Objetivo
Realizar espetáculos de música popular nas capitais e principais cidades do país. O Projeto Pixinguinha promove o intercâmbio de manifestações musicais entre as diversas regiões do país, gratuitamente ou a preços populares.

Público:
Geral.

Diretrizes do Programa
Fomentar e difundir a Música Popular Brasileira.

Forma de Seleção de Projetos
Edital.
Os editais do Projeto Pixinguinha são lançados geralmente, no primeiro trimestre de cada ano. A seleção de projetos e o início de circulação das caravanas acontecem entre os meses de abril e agosto.

Área Responsável
Funarte

Parcerias Existentes
Petrobras, Estados e Municípios

Correlação no PPA
Programa Engenho das Artes

Informações Adicionais
Centro da Música – Funarte
e-mail: comus@funarte.gov.br
site: www.funarte.gov.br


Histórico do Programa e Realizações
Criado há quase três décadas, o Projeto Pixinguinha foi responsável pelo lançamento nacional de artistas que hoje são consagrados na MPB.
Após um período de interrupção, a Funarte retoma o Projeto Pixinguinha, que já realizou 32 caravanas em 62 cidades dos 26 estados e do Distrito Federal, fazendo circular 250 shows, de que participam 320 músicos, atendendo um público de cerca de 200 mil espectadores em todas as regiões do país.O Projeto Pixinguinha foi responsável pelo lançamento nacional de artistas com o Djavan, Zé Ramalho, Zeca Pagodinho, Adriana Calcanhoto, Zizi Possi entre outros.

Saiba Mais sobre o “Projeto Pixinguinha.”

http://www.cultura.gov.br/programas_e_acoes/index.php?p=529&more=1&c=1&tb=1&pb=1 


AQuatro _ Projeto Pixinguinha _ Show’s _ Janeiro / 2008.

dezembro 6, 2007

 AQuatro.

AQuatro.

Formação do Grupo AQuatro:

Dudu Maia. ( Bandolim de 10 Cordas. ).

Pedro Vasconcellos. ( Cavaquinho. ).

Valerinho. ( Pandeiro. ). 

Fernando César. (Violão, 7 Cordas. ).

____________________________

Dudu Maia. ( Bandolim de 10 Cordas. ).

Dudu Maia. ( Bandolim de 10 Cordas. ).

http://www.myspace.com/bandolimbrasileiro

Pedro Vasconcellos. ( Cavaquinho. ).Pedro Vasconcellos. ( Cavaquinho. ).

Valerinho ( Pandeiro. ). 

Valerinho ( Pandeiro. ).

Fernando César. (Violão, 7 Cordas. ).

Fernando César. (Violão, 7 Cordas. ).

Saiba mais sobre o “Projeto Pixinguinha“:


6º Festival Varilux de Cinema Francês.

dezembro 6, 2007

6º Festival Varilux de Cinema Francês: Programação_Bras�lia.

Programação_Brasília.  

http://www.festivalvarilux.com.br/grade_brasilia.html


Marcelo Dischinger _ O Fotógrafo.

dezembro 6, 2007

Foto e Tal.

Revelando a cultura brasiliense – Boa viagem!

Revealing the culture of Brasília, Brazil – Have a nice trip!

Marcelo Dischinger _ O Fotógrafo.

 Fotojornalista atuante em todas as áreas fotográficas.

  •     Abordagem descontraída
  •     Enfoque fotojornalístico
  •     Linguagem artística
  •     Qualidade superior
  •     Investimento justo
  • http://www.fotoetal.com/

    http://melhorfoto.blogspot.com/